fbpx
skip to Main Content
47 9.8831-8174 contato@sidneidasilveira.com.br

Crescer não dói, LIBERTA!

Quantas vezes pensamos que o fardo está pesado demais?
O trabalho está cansativo, a faculdade não está nada bem, o namoro parece que não passa da próxima semana, etc. etc. etc.
Simplesmente não entendemos o motivo de estar tudo tão puxado, e nem nos damos conta de como fomos parar nessa situação.


Gostaria de fazer uma reflexão a respeito da situação acima…
Quem estudou e se esforçou para entrar na faculdade? E porque?Quem buscou o emprego? E porque?Quem aceitou relacionamento? E porque?
Não nos damos conta, que não importa o quão boa ou ruim seja a situação no qual estamos, nós é quem escolhemos estar nela.


O processo irá acabar de uma forma ou de outra, isso é fato e você pode escolher pelo menos 3 caminhos.
Caso você se perca e nem lembre mais o motivo de ter começado, certamente o caminho será desistir. Perderá seu tempo com o processo até a fase que fez e não concluiu. O pior, é que voltou para onde estava, porém mais cansado e com a crença que não é possível.

Talvez, você até finalize fazendo tudo meia boca, e depois veja que nem cresceu tanto, que nem se transformou tanto, e que nem foi libertador como esperava, e se tiver essa percepção, me arisco dizer, que fez o processo achando ele difícil, pesado, dolorido e fez no menor tempo possível, fez apenas o mínimo necessário para sair daquela situação.

Vale lembrar que o fardo começa a pesar quando paramos de olhar o motivo de ter começado, e nos permitimos ser atingido pelo cansaço do processo. Mas vai dizer é fácil? De fato não é, mas ao focar no objetivo e entender o processo, certamente você começará a apreciá-lo, e com certeza o tornará mais leve, mais intenso e com melhores experiências, e o melhor, quando o processo acabar, quanto mais intenso você o fez, com garra de ir a fundo nos detalhes para entender cada vez mais e fazer o processo muito melhor, mais libertador será.

Veja a imagem da borboleta desse post, mostra o processo do rompimento do casulo, faz um esforço tremendo, e imagine o quão foi dolorido isso para ela. Mas observe com atenção, ao acabar, ela tem agora a escolha de voar distancias curtas ou longas em segundos, coisa que antes não lhe era permitido.


Trazendo a analogia da borboleta para a vida real. Podemos escolher fazer o fácil ou o de qualquer jeito onde tudo é doloroso ou não nos dará opção futura, ou nos permitimos entender e fazer o processo que deve ser feito com intensidade e apreciação, para depois se libertar com uma vasta experiência sobre o processo.
Não existe receita, e nem mapa do caminho. Mas certamente apenas esperar, não trará nenhuma diferença.
Defina bem seus valores pessoais, defina quais sacrifícios e preços está disposto a pagar e quais não está. Após se conhecer, observe as pessoas que possuem o estilo de vida que você deseja para você, e note, não estou falando de dinheiro, estou falando de estilo de vida.  Se aproxime, espelhe-se, pergunte o caminho que ela fez, se for de encontro com seus valores, busque seguir isso para você.
Muito provavelmente seu caminho será diferente mesmo querendo seguir os mesmos passos, mas garanto que você estará mais próximo de se transformar em sua melhor versão de encontro com o que deseja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top