fbpx
skip to Main Content
47 9.8831-8174 contato@sidneidasilveira.com.br

Você acredita no que está vendo, sentindo e pensando?

Você realmente acredita no que está vendo? Na hipnoterapia entendemos que tudo é uma questão de interpretação, uma crença, uma forma de interpretar, ver e sentir o mundo de acordo com sua experiência de vida.

Por exemplo:
Se eu acredito (crença) ser uma pessoa feia, serei inseguro, não me darei o devido valor e provavelmente não terei bons relacionamentos.

Se eu acredito (crença) ser capaz de algo, eu sou confiante, e faço o que precisa ser feito e consigo meus objetivos. Consequentemente reafirmo minha crença que sou capaz.

Quantas pessoas lindas e inteligentes você já viu com baixa autoestima, vendo uma autoimagem distorcida e não dando o valor merecido?

Por outro lado, quantas pessoas totalmente fora dos padrões de beleza você viu, que possuem uma autoestima tão elevada que exalavam segurança e personalidade. Pessoa que depois de algum tempo você já começou admirar? Note, todas as pessoas possuem seus valores, mas nem todas percebem isso.

Isso acontece com todos nós em diversas áreas de nossa vida. Cada um de nós possui sua própria forma de ver o mundo, sem saber, usamos lentes para interpretar o mundo.

E de onde vem essas lentes e interpretações?

Antes de responder isso, preciso dar um exemplo para que fique claro a analogia e interpretação.

Provavelmente você já tenha visto a imagem abaixo, duas pessoas visualizando o mesmo número no chão, uma dizendo é SEIS e a outra dizendo é NOVE. Gosto muito desse exemplo, pois mostra que existem mais de um ponto de vista para a mesma situação, ambos estão certos dentro de seu próprio ponto de vista.

Aproveitando o conceito desta imagem, nem tudo é apenas uma questão de ângulo e pode ir muito além. Existem muitas variáveis, e por isso, muito mais do que apenas dois ângulos, mas uma infinidade imensurável de pontos para considerarmos ao julgar algo. Ao entender isso, poderemos entender muito mais sobre nós mesmos e sobre o próximo.

Como foi sua infância? Como era sua relação com familiares e amigos? Muito amor, confiança, todos se ajudavam e agiam com positividade? Ou dependia do assunto?

Achou estranho eu te perguntar sobre sua infância agora? Perceberá que irá se conectar ao longo do texto, pois todas as experiências que temos, desde a infância até hoje, vão transformando nossas lentes.

Toda sua experiência de vida (suas interpretações) fica permanentemente gravada na memória subconsciente, ela é sua lente, seu filtro e sua forma de ver, sentir, ouvir.

A lente foi criada na infância, e foi sofrendo interferência ao longo do tempo. Por isso, no mesmo assunto, pessoas de culturas diferentes possuem opiniões tão diferentes (interpretações).

Para entender o outro, você não precisa abrir não de você.

Não precisaremos ignorar nossas verdades e simplesmente dar razão ao outro, precisamos apenas entender que temos experiências diferentes. Elas nos tornam seres únicos, por isso sentimos, enxergamos, ouvimos, entendemos o mundo de forma diferente uns dos outros.

Uma simples mudança de humor, poderá afetar nossa lente e nos fazer interpretar algo de diferentes formas. Podendo modificar nossa interpretação com alguém por um tempo ou até para todo o sempre.

Nossa interpretação pode ser ou não a mais aceitável socialmente, nem sempre podemos acreditar que estamos certos, mesmo vendo algo. É importante ver o contexto dos fatos, analisar e compreender se irá ou não ferir algum de nossos valores.

Cada um está vendo o mundo através de uma lente que ninguém vê igual. De forma automática e rápida, ninguém sabe qual lente está usando no momento, principalmente quando envolve o emocional.

Ao ter consciência disso, podemos minimizar os efeitos emocionais para analisar as variáveis buscar a melhor interpretação, sem entrar no mérito certo ou errado.

E como ver sem lentes?

No entanto, (opinião pessoal), acredito que ninguém é capaz de ver o mundo como ele realmente é de forma crua. Todos nós usamos nossas experiências de vida para interpretar o mundo, seja de forma consciente ou subconsciente.

Trazendo isso para o objetivo de vida, qual seu objetivo para os próximos anos? Como você precisa se ver, quem você precisa se tornar para estar onde e como quer estar? O que te impede?

Suas lentes foram construídas na infância e sofrendo alterações ao longo do tempo, sabendo disso, você percebe que não precisa manter as mesmas lentes. Você pode mudar de lente e automaticamente mudar sua versão de mundo.

Ao trocar suas lentes, você transforma o jeito de ver e interpretar o mundo e consequentemente também suas reações. O mundo te perceberá diferente, as reações do mundo com você também serão diferentes. Logo, ao trocar as lentes, você também se transforma.

Pegando analogia com a imagem abaixo, por que continuar vendo o mundo por lentes amarelas se pode experimentar outras cores e vivenciar outras formas de ver o mundo, com cores e humores diferentes.

Clique para ampliar, e veja essas imagens abaixo para ilustrar o texto acima.

Back To Top